Dicionário do Vidro

Vidro fotovoltaico

Os vidros fotovoltaicos recebem esse nome devido a sua capacidade de gerar energia elétrica ao serem iluminados pelo sol.

Esse tipo de vidro permite a absorção da radiação solar, convertendo-a em energia elétrica. Atualmente, a taxa de conversão de energia capturada pelos painéis fotovoltaicos – que efetivamente é convertida em energia elétrica – varia entre 8% a 16%.

A fabricação desse modelo de vidro consiste na instalação de pequenas lâminas com células fotovoltaicas fabricadas a partir do silício, um material considerado semicondutor e abundante em nosso planeta, nas superfícies das chapas de vidro.

Vale lembrar que na luz do sol é possível encontrar pequenas partículas chamadas de fótons. No momento em que um fóton colide com uma célula fotovoltaica, ele empurra alguns elétrons dos átomos ali presentes, criando a corrente elétrica. O efeito fotovoltaico das células ocorre a partir dessa movimentação de elétrons.

Desse modo, quando essas células são instaladas nas superfícies que serão atingidas pelos raios solares, elas permitem que o vidro transforme essa energia solar em energia elétrica. Vale lembrar que a energia gerada pode ser utilizada imediatamente ou armazenada. Em alguns casos, ao produzir mais energia do que se consome, o excedente produzido fica de crédito junto à concessionária de energia elétrica, podendo ser utilizado nos próximos meses.

As vantagens da utilização da tecnologia fotovoltaica são enormes, principalmente para o meio ambiente. Ao combinar essas vantagens com as que o vidro oferece, esse cenário apresenta mais vantagens, pois o vidro é totalmente reciclável e apresenta deterioração quase nula.

Isso torna o vidro fotovoltaico em uma fonte de energia limpa e renovável e que não apresenta impacto negativo ao meio ambiente, pois o produto incentiva a utilização racional de energia e contribui para diminuir a dependência energética de fontes não renováveis.

Além do mais, é possível combinar as particularidades da energia fotovoltaica com vidros especiais, por exemplo. Dessa forma, o painel fotovoltaico pode ser instalado em vidros temperados, laminados ou vidros duplos, dentre outros.

Vale lembrar que cada painel de vidro pode abrigar inúmeras células fotovoltaicas ligadas entre si. A ligação acontece através de fios especiais instalados no interior do perfil de alumínio da estrutura; os fios são responsáveis por conduzir a energia elétrica gerada de um painel para outro até depositá-la nas baterias de armazenamento.

Em países desenvolvidos, como na Europa, onde a energia elétrica está cada vez mais rara, o uso de vidros fotovoltaicos está se popularizando cada vez mais, aparecendo como uma das principais alternativas de solução sustentável.

Por lá os vidros são utilizados de forma intensa nos telhados, átrios, coberturas, fachadas, sempre objetivando aperfeiçoar a eficiência energética sem esgotar os recursos naturais existentes.

 

Já em Singapura, o edifício mais alto tem sua fachada toda composta por placas de vidros fotovoltaicos, gerando energia limpa. Essa tecnologia pode ser uma ótima saída para as empresas, tendo em vista que o consumo de energia elétrica dos edifícios pode chegar a 70% da energia elétrica que abastece as grandes cidades, o que, invariavelmente, contribui para o aumento do aquecimento global.