Dicionário do Vidro

Vidro revestido

 

Denominação utilizada, geralmente, para se referir aos tipos de vidro que contenham revestimentos metálicos capazes de atribuir características especiais às folhas de vidro. Dessa forma, o termo pode ser usado para mencionar os vidros baixo emissivo (low e), vidros refletivos, vidros de controle solar, vidros autolimpantes, vidros anti reflexo, dentre outros.

Na arquitetura, os vidros revestidos são costumeiramente aplicados em fachadas, envidraçamento de sacadas, coberturas, claraboias. Graças ao seu revestimento especial, esse tipo de vidro oferece propriedades de alívio térmico, permitindo maior passagem de luz do que calor aos ambientes.

O revestimento que a placa de vidro revestido recebe é produzido a partir de metais e óxidos metálicos minúsculos, com diâmetros quase imperceptíveis aos olhos. Essa camada tem a capacidade de transformar o vidro comum, auxiliando também para a manutenção e limpeza, já que a camada não permite que a poeira grude fortemente na superfície do vidro.

Também conhecidos como vidros coat, a produção dos vidros revestidos pode ocorrer por duas vias. Na primeira, chamada de hard coat (pirolítico), a placa de vidro recebe a camada metálica ainda durante a sua produção, com a placa de vidro ainda quente.

Esse método, apesar de oferecer maiores garantias de resistência e durabilidade, possui limitação nos tipos de revestimentos e cores, tendo em vista que a placa de vidro é submetida ao forno de têmpera.

O segundo método, conhecido como soft coat (processo off line), apresenta maiores possibilidades de cores e maior qualidade ótica. No processo off line, a aplicação do revestimento se dá em temperatura ambiente em uma câmara a vácuo, com a placa de vidro já resfriada.

Curiosidade: A regra é que a face do vidro que recebeu a camada de revestimento seja instalada do lado interno da estrutura, tendo em vista que sua composição metálica pode oxidar quando exposta a intempéries.