Home > Artigos > Como especificar vidros?

19.08.2021

Como especificar vidros?

Para saber como especificar o vidro correto em um projeto de arquitetura é necessário entender, principalmente, os detalhes da aplicação e as características dos vidros. De certa forma, a especificação do vidro depende de fatores como localização da estrutura, finalidade, orientação, horário de uso, desejos do cliente; é preciso analisar também as diretrizes da ABNT e adequar o projeto às suas normas. Lembramos que profissionais especializados sabem como especificar vidros para equilibrar resistência, segurança, estética e funcionalidade às mais variáveis aplicações.

Como especificar o vidro em um projeto de arquitetura

É importante especificar vidros corretamente, pois essa ação influência em diversos fatores de uma aplicação. Em edificações, por exemplo, o vidro correto pode ampliar a qualidade de vida e conforto do usuário; ou até mesmo trazer economias a longo prazo ao diminuir o uso de luzes artificiais e/ou climatizadores de ar. Da mesma forma, optar por vidros errados pode resultar em eventos desastrosos, como custos excessivos com manutenção, risco de acidentes físicos, baixa resistência da estrutura, etc.

Também é preciso evitar projeções exageradas que somente deixarão mais cara a aplicação sem agregar benefícios reais no fim. O indicado é entender todas as necessidades do projeto e saber quais são as características dos diversos tipos de vidro disponíveis no mercado, pois esse cenário auxilia a definir uma solução integrada que satisfaça as necessidades do projeto. Por isso é necessário recorrer a equipes especializadas que saibam como especificar vidros para satisfazer todos os quesitos necessários.

Qual vidro usar?

Lembramos que para cada aplicação existe um tipo de vidro específico, da mesma forma que os vidros podem receber beneficiamentos que agregam tecnologias capazes de satisfazer diversos desejos dos clientes. As normas regulamentadoras da ABNT definem o tipo de vidro a ser usado na arquitetura e construção civil através da NBR 7199; em contra partida, a indústria do vidro disponibiliza vidros com características únicas, como é o caso dos vidros:

– Laminado

– Temperado

– Proteção solar e controle térmico

– Acústico

– Autolimpante

– Coloridos

– Multilaminados (blindados)

– Insulado (vidro duplo)

É importante procurar por serviços de especialistas que saibam como especificar vidros, pois é possível combinar algumas particularidades dos vários modelos existentes no mercado. O vidro insulado (também conhecido como vidro duplo), por exemplo, amplifica as possibilidades de combinação, tendo em vista que sua estrutura aceita duas ou mais placas de vidro com tecnologias diferentes. Com inteligência é possível elaborar estruturas envidraçadas dentro das normas regulamentadoras e capazes de agradar aos clientes mais exigentes.

Como especificar vidros

Principais considerações

Veja baixo um resumo com as principais considerações sobre como especificar vidros corretamente na arquitetura:

– Especificar corretamente o vidro depende de diversos fatores, como a definição das reais necessidades do projeto, desejos do cliente, normas regulamentadoras, formas de uso, orientação, localização, etc.

– Utilizar o vidro correto para cada aplicação amplifica fatores de proteção, resistência, estética e durabilidade da estrutura.

– A especificação de vidros realizada de maneira correta consegue trazer conforto e qualidade de vida aos usuários, além de permitir economias financeiras.

– Por outro lado, vidros especificados de maneira errada podem comprometer a segurança, funcionalidade, estética e durabilidade das aplicações envidraçadas.

– O mercado vidreiro oferece inúmeros tipos de vidro aos profissionais do ramo. Um bom profissional é capaz de encontrar vidros com soluções integradas para atender a maioria das necessidades.

– Cada aplicação exige um tipo de vidro específico. A NBR 7199 dita as diretrizes para uso do vidro na arquitetura

– A indústria do vidro possui vidros com particularidades e tecnologias distintas capazes de satisfazer vários anseios dos usuários.

Não se esqueça de procurar consultoria especializada no assunto, pois esses profissionais saberão como especificar vidros. Existe diversos fatores a levar em consideração, como algumas aplicações envidraçadas que exigem insumos especiais. Quer um exemplo? Grandes placas de vidro requer a presença de perfis especiais para suportar com segurança todo o peso da estrutura; em alguns casos é preciso recorrer a perfis com reforço de aço. Por isso fique atento.

Que tipo de vidro pode ser reciclado?

Pode ser reciclado garrafas de bebida em geral, potes de alimentos, copos, jarras, frascos, vasos, etc, o material pode estar inteiros ou em cacos. Por outro lado, não pode ser reciclado vidros como espelhos (em geral), lâmpadas, louças de porcelana, cerâmica ou refratários (pirex), ampola de remédios, vidros temperados.

Qual a diferença de vidro laminado e temperado?

Apesar de ambos serem considerados vidro de segurança, existem algumas diferenças entre o vidro laminado e temperado. O vidro temperado oferece elevada resistência a impactos e à variações de temperatura; enquanto que o vidro laminado mantém o vão fechado até mesmo depois da quebra da placa de vidro. Vale reforçar que ambos os modelos se quebram de maneira segura aos usuários.

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Conheça nossa Política de Privacidade.