Home > Artigos > Como são feitos os vitrais?

17.12.2020

Como são feitos os vitrais?

Já parou para pensar como são feitos os vitrais? Resumidamente, o vitral é fabricado após a idealização de um projeto (desenho) que servirá como molde para o corte das peças de vidro – que serão cortadas individualmente. Os vidros estão disponíveis em diversas cores e são montados em forma de mosaico, o que garante a originalidade ao vitral. Após montagem, vedação e secagem, os vitrais estão preparados para trazer imponência e singularidade aos mais diversos locais.

O que são vitrais e como são feitos?

A técnica de fabricação dos vitrais é milenar e vem desde a Idade Média. Não por acaso o vitral está fortemente ligado às igrejas, pois é um dos principais expoentes do estilo gótico – muito utilizado pelas grandes catedrais europeias construídas no período da Idade Média.  Naquela época os grandes vitrais também tinham a função de iluminar os recintos, tendo em vista que não existiam luzes artificiais.

Vale lembrar que o efeito da luz do sol transpondo os vitrais oferece um efeito visual único, cenário que, na Idade Média, era relacionado ao aumento de espiritualidade e representava um símbolo de ligação entre o mundo físico e espiritual. Esse é um dos motivos pelo qual os vitrais costumam retratar passagens bíblicas ou representações de personagens, geralmente.

Entretanto, a fabricação do vitral permite a projeção de qualquer imagem no vidro, tudo só dependerá da criatividade e da experiência dos envolvidos. Quando entendemos como é feito o vitral notamos que ele se adapta em qualquer ambiente, o que quer dizer que além de igrejas e catedrais, a beleza do elemento é facilmente transportada para vitrais residenciais, para escritório ou empresa, compondo decorações únicas.

O mais impressionante ainda é que, ao analisarmos como são feitos os vitrais atualmente, percebemos que o método de fabricação do vitral ainda cultiva técnicas aprendidas há mais de mil anos, com pequenas modificações. Ficou curioso? Veja abaixo um breve passo a passo de como é feito o vitral!

Como são feitos os vitrais

Como se faz um vitral?

O primeiro passo é definir qual o desenho será transportado para o vitral. Antigamente era necessário que esse desenho fosse esboçado já na placa de vidro, mas atualmente é possível utilizar softwares e outras ferramentas capazes ampliar um esboço de qualquer tamanho para escala real do vitral.

Esse também é o momento de definir as cores do vitral. O mercado vidreiro oferece vidros pintados para compor os vitrais, entretanto, a técnica tradicional utiliza vidros já produzidos com coloração – não pintados posteriormente – pois as cores desses tipos de vidro não desbotam com facilidade.

É importante saber que, além de cores diversas, os vidros também possuem texturas distintas. No Brasil existe pouca oferta desse tipo de vidro devido à baixa procura, entretanto, o mercado internacional oferece muitas opções de cores e texturas – entretanto, o preço final pode encarecer devido à importação.

Após essas definições, o esboço original será utilizado para a criação de moldes base para o corte do vidro. As peças de vidro são cortadas de maneira individual e com precisão cirúrgica para serem montadas com perfeição posteriormente. Todos esses procedimentos são realizados manualmente, por isso é importante procurar os serviços de empresas que sabem muito bem como são feitos os vitrais.

O corte é realizado com um cortador especial, equipado com um pedaço de diamante em sua ponta. Após cortadas e polidas, as peças dos vitrais são dispostas em um plano de corte para que os profissionais tenham noção de como ficará quando finalizada. Se tudo for aprovado, inicia-se o processo de filetagem.

Na filetagem as peças de vidro recebem contornos nos desenhos. Nesse processo também é possível corrigir – a mão – as referências impressas, o que traz particularidades distintas a cada uma das peças desse grande mosaico de vidros. Após esse processo – que pode levar dias – os pedaços de vidro vão para o forno.

Na saída do forno o vidro ganha uma camada de um esmalte especial que auxiliará no processo de volumetria do desenho do vitral. Nesta etapa as artes dos vitrais recebem tratamentos responsáveis por trazer mais volume a imagem, destacando nuances em partes como rosto, mãos, cabelos, roupagens.

Com esses processos finalizados, o vidro está pronto para receber o acabamento final com pigmentações especiais – como a grisalha e o esmalte. Antes de serem montados na estrutura os pedaços do vitral ainda passam por mais uma sessão de forno para ajustar o tom certo da coloração.

Na montagem dos vitrais cada parte do vitral é unida com o auxilio de perfis de chumbo, estanho e solda – mas existem variações na realização desta etapa. De uma forma ou de outra, depois de montada a estrutura recebe impermeabilização – que também auxilia para que as peças fiquem presas com perfeição.

Com cada pedaço do mosaico em seu devido lugar e devidamente impermeabilizado, chegou a hora da instalação dos vitrais. Nem é preciso informar que essa etapa também precisa ser realizada de maneira minuciosa, afinal de contas, é uma peça valiosa e o processo de fabricação dos vitrais pode levar anos! A parte boa é que, depois de montada, o vitral pode durar por centenas de anos, impondo singularidade aos diversos ambientes.

E então? Achou interessante o passo a passo de como são feitos os vitrais? A arte dos vitrais é muito preciosa, não é por acaso que sobrevive por mais de mil anos! Pra se ter uma idéia de seu valor, há registros de catedrais que durante períodos turbulentos – como guerras e outras catástrofes– retiravam os vitrais e realizam a reinstalação somente quando a turbulência cessasse, com o objetivo claro de preservar essas obras primas.