Home > Artigos > História do vidro – Início

06.03.2019

História do vidro – Início

Você sabia que o vidro já foi um material limitado à alta sociedade? Antigamente era comum encontrar peças de vidro somente em palácios ou outros locais nobres, como as propriedades das pessoas influentes e donos de grandes riquezas.

Vidro na Revolução Industrial

O vidro se tornou acessível graças à Revolução Industrial, que substituiu os trabalhos manufaturados por trabalhos realizados por máquinas, aumentando significamente a produção de diversos materiais.

Esse cenário diminuiu o preço do vidro e possibilitou que mais pessoas tivessem acesso ao material, quebrando de vez a barreira que limitava o vidro aos integrantes da alta sociedade. Somente então o vidro passou a participar da composição de diversos lares por todo o mundo. 

Dificilmente os viajantes e navegadores do mundo antigo poderiam imaginar que a gosma que surgia das fogueiras que faziam nas praias para afugentar o frio se tornaria em um material de características tão valiosas e de versatilidade invejável.

Grandes descobertas do Vidro

Curiosamente ou não, assim como outras grandes descobertas da humanidade que mudaram o mundo – como a penicilina, o raio x, dentre outros – o vidro também foi descoberto por acaso há centenas e centenas de anos e veio para revolucionar a sociedade.

A ‘gosma’ que surgia das fogueiras da praia era o resultado da exposição das conchas e da areia da praia a altas temperaturas. A areia da praia é rica em sílica e sódio, enquanto que as conchas do mar possuem alta concentração de cálcio em sua composição.

Os pesquisadores da época perceberam isso e desde então esses três elementos participam da base para a fabricação do vidro. Vale lembrar que existem registros da utilização do vidro como matéria prima no longínquo ano 7.000 a.c (antes de Cristo)!

Conforme a sociedade evoluiu, o vidro também passou por transformações; ganhou formas, cores, categorias, novos modos de produção… enfim, conseguiu se tornar ainda mais único.

Estudos aprofundados permitiram a utilização do vidro para fabricação de diversos outros produtos, como móveis, espelhos, utensílios domésticos; ou até mesmo na decoração de interiores, como era o caso do uso do vidro em palácios reais.

As maravilhas do Vidro

O vidro realmente é fascinante em diversos aspectos! É um material único! Essa singularidade do vidro, ainda nos dias de hoje, causa conflitos entre cientistas e estudiosos da área.

Isso acontece porque a composição molecular do vidro não se encaixa em nenhum estado físico da matéria. Essa questão sempre deixa outra dúvida no ar: Afinal de contas, o vidro é líquido ou sólido? 

Se perguntarmos para um leigo, rapidamente ele responderia que o vidro é sólido. Mas a folha de vidro (teoricamente sólida, como conhecemos) possui a composição molecular de elementos líquidos. Ou seja, do ponto de vista molecular, a composição do vidro ‘passeia’ entre os estados líquidos e sólidos. Incrível, não?

Isso leva alguns cientistas a classificarem esse estado único como ‘estado amorfo’, ou seja, sem forma, sem definição. Mas a discussão em torno da estrutura molecular do vidro continua sendo um enorme ponto de interrogação nas pesquisas dos estudiosos da área, não só atualmente, mas desde o início da história do vidro.

O lado bom disso tudo é que, independente de uma classificação molecular definida, podemos usufruir facilmente de todos os benefícios do vidro. A popularização do material com a Revolução Industrial o transportou de dentro dos palacetes para praticamente todos os lares do mundo.

O vidro está presente em utensílios domésticos (pratos, copos, tigelas), nos móveis para o lar (estante, mesas, televisores), contribui com os avanços da tecnologia (telas touch screen, fibra ótica), participa de projetos da indústria automobilística (janelas dos carros) e projetos do segmento de construção civil – arquitetura e construção.

O vidro nos dias de hoje

Nos dias atuais podemos afirmar que a tecnologia foi outra grande aliada na propagação dos benefícios do vidro, aumentando o leque de utilização do mesmo; habilitando-o, inclusive, a participar de projetos arquitetônicos robustos e que, consequentemente, necessitem de materiais proporcionalmente resistentes.

Através de vidros especiais, o material já esteve presente na construção de estruturas de casas e na fabricação de pontes inteiras de vidro; a versatilidade do vidro também viabilizou piscinas inteiras de vidro, tijolos e vigas de vidro para construção de casas, cofres de bancos, além dos famosos vidros blindados, nossos velhos conhecidos.

As propriedades do vidro que permitem a vasta utilização do produto, em algum ponto, se conectam com a discussão sobre a composição molecular do vidro.

Afinal de contas, em ambos os casos o vidro se apresenta como algo surreal que resiste a todos os rótulos e dispensa qualquer imposição de limites, seja na sua utilização na sociedade ou em sua composição de estado da matéria.

Apresente projetos únicos, assim como o vidro, e surpreenda a todos. Atribua um novo significado às suas idéias.  Utilize o vidro e torne tudo mais claro e singular.