Home > Artigos > Vidro Termo endurecido

27.05.2019

Vidro Termo endurecido

O vidro termo endurecido (ou semi temperado) passa por um processo semelhante ao do vidro temperado, dobrando sua resistência mecânica comparado à um vidro comum da mesma espessura. Apesar de ainda pouco conhecido no Brasil, ganha expressão dia após dia pois quando quebrado divide-se em pequenos pedaços, mesmo que tais fragmentos sejam maiores quando comparado ao vidro temperado. 

Não é novidade que os vidros mais famosos são os vidros temperados e laminados. O portal ArchGlass Brasil vem para lembrar justamente disso, apesar de serem os mais famosos e utilizados, muitos outros tipos de vidros existem e, para determinadas aplicações, são melhores para a especificação.

Vidro semi temperado ou vidro termo endurecido

O vidro termo endurecido que vamos ver adiante é recomendado para aplicações onde se deseja aumentar o reforço contra choques mecânicos, ventos, chuvas fortes ou alterações térmicas, por exemplo. São placas de vidro submetidas a um tratamento térmico que atribui duas vezes mais resistência à folha de vidro quando comparada a uma placa de vidro comum de mesmo tamanho e espessura.

Além do mais, esse tipo de vidro tem a vantagem de evitar a ocorrência de fissuras, o que diminui os gastos com manutenção. Cabe ressaltar que, assim como ocorre com os vidros temperados, depois de submetido a tempera o vidro termo endurecido não poderá mais ser furado, lapidado, cortado ou polido, pois pode se estilhaçar durante o procedimento, tendo em vista a tensão presente na folha de vidro.

Mas as coincidências param por aí. Mesmo que submetido a tratamento térmico, o vidro semi temperado não pode ser confundido com o vidro temperado em hipótese alguma. Ainda que ambos sejam resistentes, o vidro termo-endurecido possui características diferentes do vidro temperado.

Principais diferenças entre vidro semi temperado e vidro temperado

As diferenças entre os dois tipos de vidro ocorre porque, durante a fabricação do vidro semitemperado, a curva de resfriamento tem pressão menor, o que também cria um nível de tensão menor na placa de vidro.

Isso faz com que o vidro semi-temperado seja mais resistente que o vidro comum, tanto mecânica como termicamente, mas não se estilhace de maneira segura como ocorre com o vidro temperado, o que não permite que o vidro termoendurecido seja considerado um vidro de segurança.

Por outro lado, o nível de ‘stress’ menor do vidro termo-endurecido possibilita que as características de transmissão luminosa e estética do vidro comum sejam mantidas. O processo de semi tempera não desarranja as características ópticas do vidro, diferentemente do que ocorre com o vidro temperado, que devido à tensão interna elevada tem suas propriedades ópticas levemente prejudicadas.

Esse cenário viabiliza que os arquitetos utilizem o vidro termo endurecido – em conjunto com a laminação – para compor fachadas, telhados e envidraçamentos de sacada, por exemplo, pois a laminação garantiria a segurança e o vidro semitemperado aumentaria a resistência mecânica, resistência térmica e a entrada de luz natural ao ambiente. Também é uma ótima opção para composições de vidros refletivos sem distorções.

Apesar das semelhanças e diferenças existentes entres os mais diversos tipos de vidro, é possível encontrar um modelo de vidro que se satisfaça com maestria todas as necessidades do seu projeto. Dessa forma, não se trata de escolher o ‘melhor’ ou o ‘pior’ modelo de vidro, e sim, sobre entender o universo do vidro para indicar a opção mais adequada.

E então? O vidro semitemperado se encaixaria em algum dos seus projetos? Fique atento ao maior portal vidreiro para arquitetos – Portal ArchGlass para saber mais sobre esse e outros tipos de vidros, bem como tudo que envolve a utilização do vidro na arquitetura e deixe tudo mais transparente e inovador.