Dicionário do Vidro

Estanqueidade

Conceito atribuído aos materiais, componentes ou elementos de uma edificação com propriedades que não permitam infiltração de água, infiltração de ar e/ou a entrada de partículas sólidas suspensas no ar. A estanqueidade é uma das exigências contidas na NBR 15575, da ABNT, que estabelece regras para garantir habitalidade e o desempenho eficaz das edificações.

Tecnicamente falando, a estanqueidade é a propriedade de impermeabilização dos componentes de uma edificação, a fim de evitar a passagem de água (umidade), ar ou sujeiras, como goteiras, vazamento em janelas e mofo. A umidade, por exemplo, além de problemas de saúde, está diretamente ligada à durabilidade da construção, pois pode causar corrosão dos elementos estruturais.

A norma 15575 comenta sobre a estanqueidade em fachadas, pisos de locais molhados, coberturas, ambientes hidrosanitários e demais elementos de uma edificação situados em áreas molhadas ou que possam interagir com água.

Vale lembrar que uma das principais funções da habitação é a de proteção contra as intempéries. A ABNT define que os sistemas de vedação vertical externos de uma edificação, incluindo a junção entre a janela e a parede, devem permanecer estanques e não apresentar infiltrações que proporcionem borrifamento, escorrimento ou até mesmo formação de gotas d’água.

Dessa forma, a exposição à água da chuva, a umidade proveniente do solo e do uso da edificação devem ser consideradas no momento da elaboração do projeto, pois como já dito, a umidade acelera os mecanismos de deterioração e resulta em perca das condições de habitalidade e higiene do ambiente.

Assim como o estanque da água, o estanque do ar é primordial para garantir as condições de habitabilidade, pois afeta diretamente no desempenho térmico da edificação. Desse modo, devem ser analisados os pontos de infiltração e exfiltração do ar a fim de oferecer controle de temperatura e sistemas de ventilação com recuperação de calor.