Dicionário do Vidro

Janela guilhotina

 

Tipo de janela, frequentemente utilizada em arquiteturas rústicas, que permite o deslocamento vertical das esquadrias e chapas de vidro.  A janela guilhotina é formada por duas folhas que ficam sobrepostas que se deslocam para cima e – em alguns modelos – para baixo no momento da abertura.

Recebe essa denominação porque o modelo tem o funcionamento semelhante às guilhotinas, da idade média. Esse modelo possibilita alto fluxo de circulação de ar e entrada de iluminação natural nos ambientes. Quando equipadas com veneziana, é possível obter ventilação e segurança, mesmo quando a janela estiver fechada.

É muito comum associar a janela guilhotina a um sistema de veneziana, principalmente para auxiliar na proteção do ambiente dos raios solares. Entretanto, essa não é uma regra, já que existe outras maneiras de alcançar conforto térmico, como a utilização de vidros de controle solar.

Diferentemente da janela basculante, a janela guilhotina permite a utilização de cortinas, já que suas folhas se deslocam para cima ou para baixo. Esse funcionamento resulta em outra vantagem, pois a janela ocupa pouco espaço interno ao abrir ou fechar.

Importante frisar que é possível a utilização de grades, telas ou persianas no conjunto, que pode ser fabricado com ou sem venezianas na parte externa. Apesar de ser comumente encontrada fabricada a partir da madeira, é possível a utilização de outros materiais, como alumínio e PVC.

As chapas de vidro utilizadas nas folhas da janela guilhotina podem ser placas de vidro comum, vidro laminado, vidro temperado ou folhas laminadas-temperadas. É possível também utilizar folhas de vidro com outras características, como vidros antireflexo.

Vale lembrar que, apesar de serem ligadas a decorações clássicas, atualmente o mercado oferece uma diversidade de modelos modernos. Alguns modelos possuem sistema de molas que faz o balanceamento do peso das folhas, facilitando a abertura e permitindo que a folha da janela fique aberta em qualquer posição.