Dicionário do Vidro

Vidro acústico

Os vidros acústicos possuem a responsabilidade de proporcionar conforto acústico aos usuários de um ambiente ao efetuar o amortecimento das vibrações sonoras externas, barrando os ruídos de maneira eficaz sem prejudicar a visão entre os ambientes ou com a área externa.

Importante frisar que os vidros acústicos possuem diversas categorias. É essencial saber que existem várias opções no mercado e compreender as diferenças entre elas. Atualmente o segmento disponibiliza o vidro laminado com PVB acústico, o vidro multilaminado e o vidro insulado (ou vidro duplo) como soluções para diminuir os ruídos.

Cada um desses modelos possui sua particularidade, desempenho, espessura, de modo que é imprescindível determinar qual o tipo de ruído e a frequência (grave ou agudo) que precisa ser atenuado. Esses fatores determinarão a especificação do vidro acústico a ser utilizado em determinado ambiente.

Os vidros laminados com PVB acústico, por exemplo, são ideais para serem utilizados com esquadrias. São fabricados através de duas placas de vidro composto por uma película de PVB especial. A diferença de ruído que uma estrutura com este modelo de vidro acústico apresenta ao ambiente pode chegar a 35 dB (decibéis), o que representa uma atenuação de até 07 dB, maior na frequência mais sensível ao vido humano.

Já a estrutura com vidros duplos (insulados) é composta por duas lâminas de vidro intercaladas por uma câmara de ar hermeticamente vedada. Nesse caso, a diferença do ruído com a estrutura aberta e fechada pode chegar a 38 dB.

Entretanto, existe um modelo que consegue unir as características dos dois modelos acima citados, ou seja, que é composto por duas folhas de vidro laminado separadas por uma câmara de ar totalmente vedada.

Chamado de vidro insulado de laminados, esse modelo é indicado para locais onde é preciso o máximo de isolamento acústico, como áreas próximas de indústrias, casas de shows, aeroportos. Nesse modelo a atenuação pode chegar a 42 dB.

Por último, o multilaminado, que é composto por 3 ou mais folhas de vidro intercaladas por PVB acústico. Esse modelo se baseia nas leis da massa, que ditam que quanto maior a barreira, maior a atenuação do som. Os multilaminados conseguem diminuir até 42 dB de ruído externo.

O profissional deve se lembrar de que a esquadria deve apresentar alto desempenho, como é o caso das esquadrias em PVC, além de estar ciente que o tipo de abertura da estrutura também pode influenciar. As peles de vidro com janelas basculante são mais eficientes que esquadrias de correr, por exemplo.

Além do mais, é de extrema importância conhecer todas as normas que regulamenta esse tipo de aplicação, como a NBR 10.152, da ABNT, que determina o nível de ruído para cada ambiente; e a NBR 15.575, que dita sobre o desempenho que as edificações devem ter, incluindo nessa lista o desempenho acústico.

Não podemos esquecer que é importante considerar qual o valor que o cliente deseja investir para adquirir o conforto acústico. Vale lembrar que os vidros acústicos conseguem barrar até 40 dB  em média, número amplamente maior quando comparado com os vidros comuns, que beiram 25 dB.

O vidro é um excelente isolante acústico devido às suas características físico-mecânicas, que associadas ao bom desempenho térmico, tornam-se extremamente úteis para aplicações arquitetônicas funcionais e de alto valor estético que demandem de isolamento térmico e acústico.

Sem esquecer que, diferentemente de outras opções e elementos para barrar o som, o vidro apresenta a característica da transparência única, o que lhe dá a vantagem de barrar o som com eficácia sem prejudicar a iluminação natural ou a visão entre os ambientes, aliando assim, beleza e funcionalidade em um mesmo projeto.

Lembramos que, apesar do vidro ser um ótimo obstáculo, é imprescindível que todo o conjunto onde ele será aplicado apresente um bom isolamento acústico. Isso quer dizer que os caixilhos das portas, janelas e fachadas especiais devem ser de qualidade e com estanqueidade pertinente.

É importante trabalhar com perfis de dimensões maiores no caso de vidros com mais espessura, por exemplo, além de que o caixilho deve deixar o mínimo de fresta possível, tendo em vista que isso influenciará diretamente na passagem do som.

Além de tudo, as portas e janelas convencionais devem ter seu desempenho acústico comprometido com o sistema de vedação, pois as juntas entre os batentes, portas e esquadrias das janelas são pontos críticos de vazamento de sons.

Não podemos deixar de mencionar que, além da atenuação acústica, os vidros podem proporcionar outros benefícios aos usuários, como alta resistência, baixa manutenção, proteção contra os raios UV – que desbotam os tecidos e os móveis –, melhoria do desempenho energético e segurança comprovada