Dicionário do Vidro

Vidro antifogo

 

Placas de vidro multilaminadas. As chapas de vidro são intercaladas com um gel químico e transparente (de modo que não interfere na passagem de luz) que se funde e dilata em casos de incêndios. Ao receber calor intenso, o material químico é ativado e cria uma barreira capaz de absorver a radiação térmica, impedindo a pressão do incêndio.

Vale lembrar que esse processo pode ser ativado também por excesso de temperatura ou de raios solares intensos.

Popularmente conhecidos como vidro corta fogo, seu desempenho depende de diversos detalhes técnicos envolvendo, principalmente, o modo de instalação e o tipo de vidro que será utilizado durante a laminação. Importante frisar que a equipe que procederá com a instalação deve ser devidamente habilitada e especializada.

A equipe responsável deverá identificar, por exemplo, a necessidade de utilização de placas de vidro que impedem a propagação da chama, mas permitem a passagem de calor (vidro para chamas) ou vidros que bloqueiam as chamas e o calor (vidro corta fogo).

Tecnicamente, o vidro é parachama quando apresenta resistência e estabilidade mecânica sem deformações significantes para o tempo em que foi classificado; apresenta também estanqueidade contra chamas e gases quentes.

Já o vidro corta fogo, além de apresentar estabilidade, resistência e estanqueidade, ainda garante isolamento térmico ao não permitir a passagem do calor e, consequentemente, a inflamação da outra face do vidro, bem como, dos objetos próximos a ele.

Além disso, uma equipe especializada também será capaz de identificar outras necessidades técnicas e classificações definidas pela legislação nacional.

Toda a atenção é especial, tendo em vista que os detalhes e o comportamento de todos os elementos do conjunto, como esquadria, perfil e caixilho, deve estar na mesma sintonia, ou seja, o conjunto precisa ser projetado para apresentar a mesma regra de resistência, garantido a segurança em caso de acidentes.

Os vidros antifogo são de ação preventiva, utilizados em ambientes para garantir a evacuação segura em casos de acidentes, por exemplo. Dessa forma, é indicado para instalação em ambientes compartilhados e em áreas com rota de fugas; em compartimentação nas fachadas entre andares e horizontal de laje.