Dicionário do Vidro

Vidro comum

 

Denominação dada à chapa de vidro que ainda não foi submetida a nenhum tipo de tratamento especial, entretanto, pode ser utilizada em diversas aplicações, como arquitetura e construção, indústria moveleira e decoração de ambientes. A transparência, durabilidade, facilidade de manuseio, boa resistência química e baixo custo são os principais atrativos desse modelo.

Vale lembrar que, apesar de não passar por nenhum tratamento especial, o vidro comum pode receber beneficiamentos, tornando-se matéria prima para o processamento dos mais diversos vidros especiais, como vidros temperados, vidros laminados, vidros insulados (vidro duplo), vidros serigrafado (coloridos), vidro curvo, dentre outros.

Também reconhecido como vidro float, é composto por sílica, cálcio e sódio, basicamente, além de doses de alumina, magnésio, potássio. Essa mistura é encaminhada para fornos com temperaturas exorbitantes, capaz de realizar a fusão das matérias primas.

Logo depois de fundido, o líquido vítreo é derramado em um tanque de estanho quimicamente controlado, onde flutua – daí vem o termo float – espalhando-se de maneira uniforme. A espessura da placa de vidro comum geralmente é controlada através de cilindros; após o resfriamento controlado, o processo é finalizado, dando vida às placas de vidro.

O vidro comum pode ser incolor, verde, fumê ou bronze. Para a obtenção de vidros coloridos, é necessária a utilização de corantes especiais ainda no processo de fabricação. Geralmente, é possível encontrar vidros comuns em diversos tamanhos e espessuras variadas.

O conhecimento sobre os diversos tipos de vidros utilizados na arquitetura e suas tecnologias agregadas é fundamental para determinar quais os modelos que se encaixam melhor a um determinado projeto.

Dessa forma, é preciso considerar as opções que ofereçam o melhor desempenho para as funções que serão realizadas em um determinado ambiente. O uso do vidro é indispensável, entretanto, há a necessidade de compreender qual o melhor tipo de vidro a ser aplicado para que questões como funcionalidade, conforto e estética não sejam comprometidas.