Dicionário do Vidro

Vidro plumbífero

 

Folhas de vidro que contém chumbo em sua composição. Os vidros plumbíferos são indicados para amplificar a segurança de clínicas e hospitais que trabalhem com diagnósticos de imagem, como tomografia e raio-x, tendo em vista que esses tipos de equipamentos emitem ondas de radiação, prejudiciais à saúde humana.

Esse tipo de vidro fornece proteção radiológica com eficiência e alta qualidade. As placas apresentam transparência e o elevado teor de chumbo e bário presente em sua composição garantem proteção contra radiações de equipamentos que operam na faixa de 80 a 300 kV.

Vale lembrar que, de acordo com a ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas, através da NBR 61331-2, as chapas de vidro para proteger contra radiações devem ter transparência maior que 85%, além de chumbo em, no mínimo, 22% da sua espessura.

A transparência do vidro consegue possibilitar integração entre paciente e os familiares, por exemplo, além de proteger os profissionais da saúde que participam do procedimento. O vidro plumbífero pode ser laminado, proporcionando maior segurança ao ambiente e às pessoas envolvidas.

Lembramos que o vidro laminado possui a capacidade de manter todos os estilhaços de vidro grudados em uma película em casos de quebras.

A indústria do vidro disponibiliza placas de vidro plumbífero com espessuras que variam de 3,5 mm a 20 mm e dimensões de até 2800 mm x 1400 mm. Teoricamente, chapas mais espessas conseguem barrar maiores índices de radiação, entretanto, é indicado consultar profissionais especializados para especificar a espessura correta a ser utilizada em determinado projeto.

Exposição excessiva as ondas de radiação pode causar problemas de saúde, como o câncer. A utilização de vidro plumbífero em ambientes com índices de radiação garante a saúde ocupacional dos profissionais da saúde, como médicos e enfermeiro, pacientes, familiares e todas as pessoas que, de alguma forma, tenha contato com a radiação emitida pelos equipamentos de serviço de imagem.