Home > Artigos > Prédio de Vidro

02.06.2022

Prédio de Vidro

Imponentes, os prédios de vidro – como são conhecidos os arranha céus com fachadas envidraçadas – estão cada vez mais acessíveis e mudando a paisagem da arquitetura presente aos redores. Mas apesar de chamarem atenção pela sua grandiosidade e destaque visual, um prédio de vidro também pode ser totalmente funcional e amigo da natureza ao mesmo tempo em que oferece estética singular, modernidade, inovação e baixo custo de manutenção.

Entretanto, para garantir a presença dos benefícios singulares, a estanqueidade e segurança dos usuários e todos à volta, a pele de vidro precisa ser estudada e projetada de maneira cirúrgica. A indústria do vidro disponibiliza modelos com tecnologias distintas e possíveis de serem aplicadas para trazer conforto e suprir outras necessidades. Além disso, a arquitetura com vidros deve estar harmonizada com as diretrizes regulamentadoras da ABNT.

Outro fator a se considerar durante a projeção de prédio de vidro são os esforços solicitantes, ou seja, o esforço que as estruturas terão que fazer para resistir às forças externas, nesse caso, podemos destacar a pressão do vento (que pode alterar conforme a região), o peso do próprio vidro e a pressão de cálculo (que pode variar conforme o tipo de vidro utilizado). É possível obter dados mais detalhados desses valores realizando um estudo da NBR 7199 da ABNT.

Tipos de vidros para fachadas

Além dos vidros de segurança – de uso obrigatório conforme as normas da ABNT – existem vidros especiais de alta performance capazes de bloquear a passagem de calor e som, com tecnologia para se limpar com a chuva, vidros estruturais, vidros espelhados e até aqueles com composição exclusiva para evitar acidentes com pássaros. É válido lembrar que existe a possibilidade de combinar tecnologias do vidro – como vidro laminado espelhado, dentre outros.

Esse cenário permite a projeção de peles de vidro totalmente funcionais, que garantem o conforto dos ambientes e são capazes de valorizar o imóvel em uma possível revenda, claro, se projetadas com profissionalismo. Prédios com certificações ambientais geralmente utilizam os benefícios do vidro para economizar energia ao diminuir o uso de climatizadores de ar e iluminação artificial.

Como já comentado, a utilização de vidros na arquitetura é regulamentada. A ABNT NBR 7199 cita os principais tipos a serem aplicados em fachadas. Tecnicamente, os modelos habilitados a compor um prédio de vidro – sem exceções – são o vidro laminado e o aramado; enquanto que o vidro temperado pode ser aplicado com ressalvas. Já o vidro comum é alternativa para uma ocasião. Veja mais abaixo:

Vidro laminado: O vidro laminado é ideal para prédio de vidro. Sua configuração garante resistência, durabilidade e proteção aos usuários, pois nos raros casos de quebra o vidro não se solta da estrutura, garantindo a segurança de todos até a manutenção. Vale lembrar que ao vidro laminado é possível atribuir outros beneficiamentos, como coloração, proteção térmica e acústica, laminação estrutural, etc.

Vidro aramado: Segundo a ABNT, os vidros aramados podem participar de fachadas de prédios sem ressalvas. Lembramos que o vidro aramado é classificado como vidro de segurança devido ao seu método de fabricação, que utiliza uma rede metálica agregada à massa do vidro para trazer resistência e impedir o espalhamento de vidros nos casos de fragmentação.

Vidro temperado: Devido às suas características, o vidro temperado, em prédio de vidro, pode ser utilizado no pavimento térreo – com desnível MENOR que 1,5 m ou totalmente plano ou nas aplicações com vidros instalados ACIMA da cota de 1,10 m em relação ao piso.

Vidro comum: A ABNT 7199 destaca que os vidros comuns só podem ser aplicados em um cenário nas fachadas envidraçadas: nas aplicações com vidros instalados ACIMA da cota de 1,10 m em relação ao piso; ainda deve ser encaixilhado ou colado em todo o seu perímetro.

Lembramos que os vidros insulados (vidros duplos) também estão habilitados a compor prédio de vidro, desde que o conjunto seja composto apenas pelos vidros permitidos nas diretrizes da ABNT. O vidro duplo é uma alternativa interessante considerando que sua estrutura dificulta a troca de calor e som, permitindo utilizar – e combinar – placas de vidros com tecnologias diferentes para amplificar a oferta de conforto no local.

Edificações de vidros famosas

A construção de prédio de vidro – ou a utilização do vidro para vedação de outras edificações – é uma tendência mundial. No Brasil, um belo exemplo é o SampaSky, que conta com um deck envidraçado que traz a sensação de que o usuário está flutuando há 150 metros de altura sobre a cidade de São Paulo. Já pelo resto do mundo encontramos outros destaques dignos de consideração, como:

– Shard London Brigde, em Londres

– Loja da Apple, em Nova Yorque

– Grande Teatro Naciona, Pequim

– Skydeck, na Torre Willis, em Chicago

– Sage Gateshead, em Gateshead

– Skywalk, no Grand Canion, Arizona

– Pavilhão da Hyundai, em São Paulo

– Temple de L’Amour, em Borgonha, França

Esse cenário atual se confronta com o quadro encontrado em meados dos anos 70, onde as construtoras deixaram de utilizar todos os meios para criar proteção para as fachadas envidraçadas, situação que trazia calor excessivo ao prédio de vidro – uma ideia cultivada até hoje, porém, já superada graças ao amplo leque de vidros diferenciados possíveis de serem criados com a tecnologia atual.

 

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Conheça nossa Política de Privacidade.