Home > Notícias > O vidro na reconstrução da Catedral Notre Dame

06.06.2019

O vidro na reconstrução da Catedral Notre Dame

Arquitetos do mundo inteiro já se mobilizam para a reconstrução da Catedral de Notre Dame. Entre projetos tradicionais e inovadores, o vidro surge como uma ótima alternativa para integrar a arquitetura local, criando conexões singulares entre os ambientes internos e externos e oferecendo alívio visual e confortos térmico e acústico.

Dias após o telhado e a torre principal da Catedral de Notre Dame serem consumidos pelo fogo, o governo francês anunciou uma corrida para definir o projeto de reconstrução da catedral. O presidente francês, Emmanuel Macron, impôs um prazo de 05 anos para a finalização do projeto.

A idealização da reconstrução da catedral divide opiniões pela França e pelo mundo afora. Enquanto uns sugerem que a construção da nova torre e telhado reproduza fielmente os traços antigos, outros entusiastas cogitam a construção de projetos inovadores e contemporâneos.

O Primeiro Ministro francês, Édouard Philippe, durante o lançamento do concurso, sugeriu que o novo projeto fosse adaptado às tecnologias atuais e aos novos desafios do nosso tempo. “Isso obviamente é uma grande mudança, uma responsabilidade histórica”, comentou o Primeiro Ministro na ocasião.

Nesse contexto, o vidro assume um papel de destaque no processo de reconstrução do monumento francês. Apesar de parecer simples num primeiro olhar, o vidro oferece recursos totalmente modernos e inovadores que podem torná-lo no protagonista da reconstrução da catedral.

Além das contribuições estéticas, o vidro permite estabelecer uma nova arquitetura, integrada e expressiva, capazes de criar conexões diretas entre os ambientes internos e externos, ou seja, é uma alternativa perfeita para que os usuários da catedral sintam-se, ao mesmo tempo, do lado de dentro e do lado de fora do local, permitindo o diálogo com a natureza.

O material também oferece recursos para proporcionar conforto acústico e conforto térmico aos ambientes, características inegociáveis para garantir o silêncio e a comodidade dentro das igrejas e catedrais. Convém lembrar também que o vidro ofereceria observação de múltiplos pontos de vista, como uma vista panorâmica de Paris, além de ser um produto ecologicamente correto.

Entre as diversas ideias reais e supostas apresentadas até o momento, ao menos duas se utilizam o vidro como matéria prima principal, justamente por ser um material inovador e amigo do meio ambiente.

Fazenda urbana com vidros

Vincent Callebaut, arquiteto futurista reconhecido por agregar o meio ambiente aos seus projetos deseja transformar o telhado da Catedral de Notre Dame em uma espécie de fazenda urbana, no intuito de promover uma relação mais sadia entre os humanos e a mãe natureza.

A nova torre da Notre Dame, na visão de Callebaut, seria construída com vigas de madeira laminada em conjunto do mínimo possível de material, para amplificar a transparência da cobertura do monumento histórico – que seria coberta com vidros captadores de energia solar. A intenção do arquiteto é transformar o telhado em um polo de energia positiva capaz de produzir mais energia do que consome, abastecendo a catedral e os arredores.

A nova cobertura teria um espaço idealizado para facilitar a transição térmica. Com o auxílio do vidro, o espaço acumularia ar quente no inverno, isolando os ambientes da catedral do frio. No verão, através da evapotranspiração das plantas da fazenda urbana, o espaço liberaria ar fresco para a estrutura, contribuindo para o conforto térmico do local.

Homenagem às abelhas

Os escritórios Summum Architecture e Studio Nab resolveram homenagear as quase 200 mil abelhas que viviam no telhado da catedral antes das chamas atingirem o local e que, maravilhosamente, sobreviveram ao incêndio.

O projeto do escritório Summum Architecture, prevê que o vidro cubra a nova estrutura de madeira, que seria construída para fornecer abrigo para pássaros e insetos. O vidro seria o responsável por dar visibilidade a esse novo santuário. No projeto idealizado pelo Studio Nab, o telhado de vidro seria transformado em uma estufa gigante, ambiente convidativo para insetos polinizadores. Em ambos os projetos o local seria aberto ao público e serviria como um centro educacional para ensinos sobre agricultura urbana.

O governo francês segue confiante no projeto de reconstrução da Torre da Notre Dame e crê que o novo telhado seja entregue dentro do prazo estabelecido, principalmente se levar em consideração o entusiasmo de alguns arquitetos, como o britânico Normas Foster, que nem apresentou proposta para o novo telhado, mas ostenta em seu portfólio a modernização do prédio do Parlamento Alemão (Reichstag), destruído na Segunda Guerra Mundial.

“O resultado ideal seria uma combinação respeitosa entre o velho dominante e o que há de melhor no novo”. Comenta Normas Foster. “A França tem uma invejável reputação de realizar grandes projetos. Com sua experiência, não há razão para o presidente Macron não ficar otimista de que o prazo será cumprido”, finaliza o arquiteto britânico.

Veja + Notícias

11.09.2020

Vidro é destaque em casa litorânea

21.08.2020

Guarujá ganha mirante com piso de vidro

14.08.2020

Vidro é utilizado em esfera projetada por Oscar Niemeyer