Home > Artigos > Quando surgiram as janelas de vidro?

05.11.2020

Quando surgiram as janelas de vidro?

Você já parou para pensar quando surgiram as janelas de vidro? Ou até mesmo porque as janelas são feitas de vidro? Devido aos seus atributos intrínsecos, o vidro revolucionou a arquitetura e trouxe outro conceito para as janelas, afinal de contas, o material maleável, resistente e transparente era capaz de vedar as janelas e permitir a entrada de luz natural ao mesmo tempo em que criava uma barreira contra vento, chuva e o frio.

Janela de vidro

Quando surgiram as janelas de vidro? As janelas possuem uma construção histórica e cultural. No início as habitações tinham somente uma abertura – que dava acesso a um único ambiente. A partir da descoberta do fogo as casas passaram a ter outras aberturas para expulsar a fumaça de seu interior. Essas novas aberturas era protegidas dos animais e intempéries de diversas formas (folhagem, madeira).

Já para o povo egípcio, por exemplo, os locais pouco iluminados faziam parte das crenças religiosas da época. As raras aberturas eram as frestas – resultado da arquitetura da época. Rusticamente falando, essas frestas podiam ser consideradas suas janelas. Os primeiros registros de alterações significadas desde então estão no período da Grécia antiga, onde a arquitetura dava prioridade a espaços iluminados e ventilados.

Porque as janelas são feitas de vidro?

Com a evolução da humanidade os sistemas de construção realizaram adequações nos elementos construtivos – e nas moradias, consequentemente – sempre buscando conforto, melhoria de qualidade de vida e eficiência funcional.

Dessa forma, possivelmente no ano de 500 a.C o vidro passou a compor as janelas das construções, tendo em vista que era o único material suficientemente transparente e resistente, o que permitiria proteção física contra intempéries e entrada de luz natural ao mesmo tempo. Para conseguir a janela de vidro, o material era derretido e espalhado em uma superfície com bordas altas para ser alisado com um rolo.

Ainda assim, há de lembrar que, no início, o vidro estava limitado às camadas mais ricas da sociedade, tanto que utensílios domésticos de vidro chegavam a ser declarados em inventários de patrimônios. Por esse motivo, os primeiros registros de grandes janelas de vidro apareceram somente entre os séculos XVII e XVIII, geralmente em edificações nobres como palácios e igrejas das cidades mais importantes.

A popularização do vidro (e da janela de vidro) começou na Revolução Industrial. A vasta produção do vidro diminuiu o preço do material e quebrou a barreira que limitava o produto aos mais ricos. A Revolução Industrial também trouxe tecnologias diferentes que permitiram a criação de janelas com aberturas maiores, por exemplo. Dessa forma as janelas de vidro passaram a participar de projetos que ditavam novos padrões de conforto e estética para os usuários.

No Brasil é difícil precisar quando surgiu a janela de vidro, mas com a virada do século XX e a caminhada na direção da modernidade, a valorização da arquitetura funcional e a melhor distribuição dos ambientes conforme as finalidades estimularam a projeção de obras bem planejadas; e o uso do vidro (utilizado principalmente em fachadas, janelas e portas) foi um dos recursos que mais se intensificou, influenciado pelas principais escolas arquitetônicas mundiais.

Janelas de vidro

Porque as janelas são feitas de vidro? Com o avanço da tecnologia, os suplementos e materiais utilizados na arquitetura também evoluíram, se tornando parceiros importantes na busca por ambientes confortáveis termicamente e que se alinhem aos conceitos de sustentabilidade. As janelas de vidros, por exemplo, ganharam adequações que interagem positivamente com as condições climáticas do local e amplificam o grau de conforto e proteção oferecido aos usuários.

Atualmente, o modelo mais comum utilizado em janela de vidro é float, entretanto, é preciso lembrar que os tipos de vidro para janela são definidos pelas normas da ABNT, que consideram diversas situações.  Além do mais, o mercado vidreiro já oferece modelos que amplificam o conforto, melhoram a qualidade do ambiente interno e propiciam redução no consumo de energia elétrica ao diminuir uso de iluminação artificial e climatizadores de ar da edificação.

Qual tipo de vidro para janela?

Abaixo listamos alguns tipos de vidro para janela que podem causar impacto positivo no conforto, segurança, sustentabilidade e eficiência energética de uma edificação:

– Vidro auto limpante

– Vidro refletivo

– Vidro espelhado

– Vidro anti reflexo

– Vidro de controle solar

– Vidro serigrafado

– Vidro acústico

– Vidro baixo emissivo (vidro low-e)

– Vidro fotovoltaico

– Vidro polarizado (vidro inteligente)

Além disso, é preciso destacar os vidros de segurança, opções frequentemente indicadas para compor janelas segundo as normas da ABNT:

– Vidro laminado

– Vidro temperado

– Vidro aramado

O vidro insulado (vidro duplo) também é alternativa eficiente de vidro para janelas. Nesse modelo é possível combinar dois ou mais dos tipos de vidro pra janela acima citados, amplificando as características funcionais e/ou estéticas da estrutura. Lembramos ainda que, ao considerar as diversas funções da janela de vidro – como entrada de ventilação, iluminação natural, integração de ambientes, etc – a adoção de vidros sem tecnologias para bloquear a radiação solar pode resultar em desconforto térmico.

É preciso considerar que, atualmente, a janela de vidro é responsável, em muitos casos, pelas condições térmicas e acústicas do interior da edificação, sendo um elemento primordial nas perdas e ganhos de calor do ambiente e na redução do consumo de energia elétrica.